Circuito Elétrico

Circuito Elétrico

Circuito Elétrico Residencial

O que é circuito elétrico?

O circuito elétrico pode ser definido como o percurso completo por onde os elétrons ou os portadores de carga podem entrar de um terminal de uma fonte de tensão, passando através de condutores e componentes, até chegar no terminal oposto da mesma fonte.

Circuito Elétrico

Um circuito elétrico é constituído basicamente por uma ou mais fontes de energia elétrica, fios condutores e algum elemento de circuito (que pode ser um indutor, capacitor, resistor, diodo, etc.).

Circuito Elétrico Residencial

Neste momento, você já listou eletrodomésticos e pontos de luz com as devidas potências. Contas feitas, definem-se os circuitos (as linhas de transmissão de energia interna, que saem da caixa de distribuição e levam a eletricidade até os aparelhos). Para cada um, instala-se um disjuntor. A questão é: quantos?

Fixar essa quantidade é relativamente simples: ramais que alimentam aparelhos de grande potência (a partir de 1 200 W), como chuveiros, fornos de microondas, máquinas de lavar roupa e secadoras, por exemplo, pedem circuitos exclusivos.

A mesma indicação serve para os aparelhos eletrônicos, como os computadores, mesmo que não tenham potências tão elevadas. Além disso, tomadas e pontos de luz não devem ser abastecidos por um mesmo circuito.

Estabelecendo limites para cada Circuito Elétrico

Como determinar o limite de cada circuito? E quantas tomadas podem ser ligadas a cada um sem que haja o risco de sobrecarga? Os projetistas recomendam tomadas comuns, de 100 watts de potência, em média, para ambientes de estar, como salas e quartos. Um circuito feito com um cabo de 2,5 mm2 (a bitola mais comum em residências) a uma tensão de 110 volts pode conduzir algo em torno de 1 200 a 1 500 watts. Assim, será possível ligar cerca de dez tomadas de 100 watts cada, já prevendo uma margem de segurança. Se a tensão for de 220 V, a potência do circuito aumenta para algo em torno de 2 200 watts.

Ao estabelecer o número de circuitos e a potência de cada um, lembre-se de que não se deve exceder o limite de cada ramal, sob pena de superaquecimento dos cabos, variações na tensão e desarme constante dos disjuntores.

Circuito Elétrico residencial

Escolha do Material Elétrico

Os materiais que levam a energia aos diferentes pontos de sua casa devem ser de boa qualidade. Procure na embalagem o símbolo do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia), procedimento aconselhável para todos os componentes de sua instalação. Desde os cabos até os interruptores, esse símbolo significa que as peças foram feitas obedecendo às normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) para Instalações Elétricas de Baixa Tensão, identificadas pela sigla NB-3 (NBR-5410), antiga NB-3. Agora, conheça a cesta básica da sua instalação.

Fios e cabos

Só há uma diferença entre eles: a flexibilidade. Os fios – constituídos de um único e espesso filamento – são rígidos. Já os cabos são formados por vários filamentos finos, o que lhes dá maleabilidade e facilita sua colocação nos trechos onde há curvas.

O material de que são feitos – o condutor de eletricidade – é o mesmo, o cobre (que, aliás, pode variar muito de qualidade). Faça sua pesquisa de preços, mas não leve um produto só porque é mais barato. Isso pode significar matéria-prima inferior – quanto mais puro o cobre, melhor será a condução da energia. Muita atenção também quanto ao revestimento, que deve ser antichama. Exposto ao fogo, o PVC, que cobre todos os fios e cabos, não propaga a chama, mas, em geral, libera gases tóxicos. Uma nova geração de cabos aboliu o chumbo tóxico da capa que isola os condutores. Na hora da compra, pergunte sobre a qualidade do produto e verifique as suas especificações.

Disjuntores desarmados, choques, curto-circuitos, variação na intensidade da luz

Esses são apenas alguns – ou os mais corriqueiros – problemas que nos afligem no dia-a-dia. A boa notícia é que tudo isso pode ser evitado – ou reformado, se sua casa já não é tão nova assim. Acompanhe neste Elétrica sem segredos, edição especial da revista Arquitetura & Construção, tudo o que envolve uma instalação elétrica bem feita. Um projetista faz parte, naturalmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *